As "igrejas" e as disputas espaciais

As "igrejas" e suas disputas espaciais, que missão é essa?
"Ide por todo o mundo e pregai o evangelho a toda criatura". Isto foi o que Cristo confiou à sua igreja, que na verdade somos cada um de nós que somos do evangelho de Cristo, na verdade, o que é bom não deve ficar escondido dentro de nós, antes, devemos espalhar as boas novas de Cristo, pois o evangelho é poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê.
Todos nós que somos igreja do Senhor, que conhecemos e experimentamos as boas novas, queremos o mesmo para todas as almas que ainda não conhecem aquele que é o Caminho, portanto espalhamos a mensagem para todos aqueles que cruzam o nosso caminho, era assim que os discípulos de Cristo agiam, pessoas como o Apóstolo Paulo, que no fim do livro de Atos prega o evangelho até mesmo em uma prisão, portanto o evangelismo continua, mesmo que não tivermos oportunidade de fazer grandes viagens missionárias, conforme o mesmo apóstolo Paulo fez e lutou pela causa do evangelho durante a sua caminhada, sem falar também do Gadareno que foi curado por Cristo e este mandou que voltasse para os seus e anunciasse esta mensagem.
Por isso eu prego e me considero um missionário, seja na faculdade, no trabalho, nos divertimentos, ou onde quer que seja, isto é um estilo de vida e não deve ser tido como neurose, conforme muitos grupos religiosos tem ensinado, é por isso que muitos que viajam para a missão voltam, na verdade, a grande maioria volta em menos de 3 meses, pois a sua atitude não partiu do coração, mas sim à partir daquilo que foi exteriorizado e proposto pela "igreja".
Na verdade, a "igreja" passa uma idéia de algo estático, onde pouco se importam com o "ide" de Deus, mas somente em disputas por poder e domínio de determinadas áreas, digo isto como afirmação, pois aqui em JF, próximo a um local onde se instalou uma dessas "igrejas" da prosperidade, nas redondezas surgiram muitas outras que antes não existiam naquele local, sendo este um local não muito populoso, percebemos isto em diversos outros pontos da cidade, existem bairros periféricos bem mais populosos onde sequer existe uma "igreja", enquanto em outros existem várias, em um determinado local chega a existir uma ao lado da outra, é algo realmente vergonhoso e que mostra que o "poder" está acima de tudo, a concorrência e a luta pelo domínio espacial é o que estimula as "igrejas" e não a paixão e o privilégio de pregar a palavra da Cruz.
Mundialmente falando, vemos os países asiáticos, onde se concentra quase que a metade da população mundial, apenas uma pequena cifra já pôde conhecer o evangelho de Cristo, a última estatística que eu vi dizia 3%, enquanto em outros continentes como Europa e América está transbordando de "igrejas" em determinadas áreas onde elas se vêem cômodas. Daí vemos a seletividade que a instituição "igreja" faz com relação aos que vão ser "evangelizados".
Enquanto a "igreja" for uma instituição geopolítica, que busca poder e domínios neste mundo e tiver esta visão de "domínio espacial" e não cumprir o "ide" de Cristo na simplicidade e pureza do evangelho, dificilmente este vai ser pregado a toda criatura. Portanto, todos que são do evangelho realmente devem levar esta mensagem em sua pureza e simplicidade, levando todos a essa experiência maravilhosa de experimentar o poder libertador, restaurador, salvador... do evangelho daquele que é um Deus gracioso e amoroso, não o deus tirano inventado pela religião.
Nele, que cumpriu sua missão, nos resgatando na cruz e pregando a palavra,
Luciano Costa