Os lobos, o cabo e o curral eleitoral: Manipulação pelo medo.



Estamos novamente vivendo um período pré-eleitoral onde os candidados buscam o maior número de votos possível a fim de se elegerem.
Nessa busca vale tudo, trocar votos por mercadorias, por promessas, discursos ideológicos e coisas do gênero.
Existem também aqueles que buscam o grande curral eleitoral manipulável existente dentro das milhares de instituições religiosas espalhadas pelo país.
Milhões de pessoas trocam seus votos consciêntes pelo voto de cabresto imposto pelo medo, sim, pelo medo, ou muitas vezes pela falta de consciência política, de saber que a política deve ser feita em prol da sociedade para o bem comum de todos, seja por quem for, pessoas de bem eleitas pelo povo, são representantes do mesmo, independente de fazer parte ou não de uma instituição religiosa, enfim, a política deve ser feita para os homens, pois são estes que vão desfrutar dos resultados da mesma.
Porém, muitos caras-de-pau utilizam o nome de Deus como cabo eleitoral, isso é a coisa mais comum em nossos dias, como se fossem melhores ou superiores ao seu semelhante levando em conta algumas coisas exteriotipadas mas que não condizem com o coração, um interior cheio de rapina.
A maior prova disto na atualidade são os sanguessugas "evangélicos" que deixaram milhares à pé para encher seus bolsos, que mataram à muitos a fim de manter os seus esquemas de roubo, enfim, o que esses lobos em pele de cordeiro praticam não é nenhuma novidade para mim, pois à muito já os conheço e tenho procurado da forma como posso denunciar todos os esquemas de barganha em nome de Deus para com os homens.
Ser ou não ser religioso não significa nada, Deus não é religião!
Digo voto pelo medo pois muitos são até mesmo ameaçados, como é de praxe nesse meio: "- Se não votar em Fulano de tal Deus vai te cobrar depois, você vai ver!"
Já ouvi inúmeras vezes esta frase.
Onde está a liberdade e a democracia? Seja a liberdade que Cristo nos Deus e a liberdade constitucionalmente adiquirida?
Assim cria-se mais um adjetivo horroroso para um deus carrasco inventado a fim de satisfazer os desejos dos lobos.
Na maioria das vezes esse fulano de Tal candidato é um "pastor-lobo" ou alguém que é candidato e logo procura os lobos líderes do curral e oferecem propina para que os votos sejam manipulados, muitas vezes eles nunca tiveram contato na vida, mas o que mais vale é o momento, é o status à ser adquirido.
Hoje presenciei uma cena muito interessante e que ilustra muito bem isto, um "pastor" de uma grande "igreja" aqui da cidade passeando pelas ruas do centro com um candidato local, esse candidato é um radialista famoso e não compactua com a religião do tal "pastor", assim, o que antes era considerado por ele um "inimigo" (Assim que chamam todos que não pensam como eles), para o lobo agora era um amigão, ao ponto de andarem abraçados pelas ruas e trocarem carícias. Que podridão!
Que falta de caráter, estamos lidando com pessoas facilmente manipuladas em troca do que seja, o negócio é se dar bem.
Diante do que foi exposto, é fácil percebermos o jogo de interesses envolvido nessa transação.
Infelizmente, em nossos dias o amor de muitos se esfria, o que aumenta é o amor ao dinheiro e à si próprio, os valores individuais são mais importantes para muitos do que os valores coletivos, é aquela famosa frase: "- Os fins justificam os meios."
Assim, os lobos continuam movendo suas locomotivas, continuam com seus grandes negócios aqui na terra, até chegarem diante do pai, eu chamo isso tudo de falta de temor, no grande dia tudo se revelará e veremos quem é quem.
O problema não é o político ser membro de alguma religião, o grande problema é se aproveitar disso para o bem próprio e praticar os abusos citados "Em nome de Deus".
Lembre-se: O reino de Deus não é o reino desse mundo, por isso o próprio Cristo rejeitou o seu controle.
Nele, cuja "política" e ética é o amor incondicional,
Luciano Costa