Para quê?

Hoje a tarde fui ao centro para tirar algumas cópias de materiais de estudo de um concurso que vou fazer por esses dias.

A loja em que eu pedi para fazer as cópias fica ao lado de uma grande faculdade de direito da cidade.

Alguns alunos de tal faculdade que também estavam no estabelecimento, com um perfil arrogante, algo típico de muitos estudantes da classe média-alta, tirava os funcionários do sério, seja pela arrogância das palavras, seja pelo excesso de liberdade em um estabelecimento que tem suas regras gerais.

Quando os estudantes sairam do estabelecimento, logo os funcionários fizeram os comentários inevitáveis:
- Não sei pra que eles fazem faculdade, nem sabem respeitar as pessoas!

Com base neste fato que presenciei hoje e em diversos outros que tenho acompanhado ao longo da minha vida, sempre questiono a utilidade de cursos superiores para os indivíduos.

Muitos cursos ditos de "humanidades" tornam muitas pessoas cada dia mais desumanas.

Ora, se a educação continuada não for um instrumento para a boa convivência entre os indivíduos, se ela não prega o respeito, a cidadania, a ética e outros valores importantes para a convivência social dos indivíduos, para que serve?

Se as pessoas depois de muitos anos de estudos não tem nenhuma mudança de comportamento em relação aos fatores acima, o que ha de bom em certos cursos?

Na verdade, na atualidade, os cursos "da moda" não se preocupam com os valores inerentes à formação ampla do cidadão, e de estímulo ao pensar em uma sociadade tão carente de valores materiais e espirituais, a grande preocupação é em formar mão de obra para o mercado e muitos entram em um curso superior visando apenas os grandes ganhos que determinada profissão poderia proporcionar, sem se importar muitas vezes com a utilidade para a sociedade e com a formação humana.

O que eu disse acima não se resume apenas aos cursos aos quais critico, ora, todo e qualquer encontro humano que não estimule essas coisas, não estimule uma melhor convivência entre as pessoas, que exclua a maioria da sociedade, que tape os olhos para os grandes problemas sociais existentes e que olhem apenas para o próprio umbigo, que gerem pessoas arrogantes e que se acham donos da verdade, que estimule a competitividade entre as pessoas seguindo os padrões da cultura capitalista que nos assola, enfim, um bando de seres "iluminados" e que se isolam dos "leprosos" e "contaminados" da sociedade.

O bom mesmo é ser sal e sentir o gosto da realidade.

"É caminhando que se faz o caminho!"

Sem mais para hoje..

Luciano Costa