O tempo não pára!

Ja passei por aquela rua
Em algum lugar do tempo, do pensamento, do sentimento
Na estrada da existência, um filme a todo momento
Momentos que passam, vida que passa

A mesma rua, a mesma escola
As mesmas travessuras, as mesmas alegrias
Os mesmos lugares, as mesmas paisagens
Posições diferentes

A mesma escada, a mesma casa abandonada

Janelas quebradas, escura
Mato alto, sem pintura
Mas ainda na rua

Olha a escola de samba
Caminhos tortuosos, miséria ao lado
Fugitivos da escola, atos impensados
A existência continua, só mudam os atores

O asilo tem muros mais altos
Mas aquela geração continua abandonada
O muro continua pintado, ética e justiça social
Política, povo excluído, principal alvo,

O tempo não pára, a vida é uma história
Já não estou mais ali, mas vivo na história
Aquele mundo ainda existe, presente na existência
Em algum lugar do tempo, ainda estou ali.

Luciano Costa